Pesquisar este blog

terça-feira, agosto 01, 2006


Poema para o dia 30 de julho de 2006


Pensei nos filhos de Cana
O vilarejo onde contam uma lenda
Que a água virou vinho, há tempos atrás.

Hoje, crianças viram sangue e massa disforme.

Por Deus!
Dor, adeus,
Ah, Deus, dor!
Ah, deusa dor,
Adeus.


Agradecimentos especiais ao fotógrafo Paulo Brasil, você poderá encontrar mais trabalhos dele no endereço:
http://www.flickr.com/photos/37837202@N00/
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUALCopyright © 2006. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site. Este texto está protegido por direitos autorais. A cópia não autorizada implica penalidades previstas na Lei 9.610/98.
Convido você leitor, para que visite meu blog de prosa:
http://www.calamidadevisceral.blogspot.com/

10 comentários:

Alexandre disse...

Olá Menina
Voltei da férias!
Bjs

Mary disse...

Belo poema! Mesmo com dor...

Beijos.

Claudio Eugenio Luz disse...

Tão longe, tão próximos de nós!!

hábeijos

brasil disse...

A criança é a presença de Deus na Terra, em carne e osso.
O poeta, Seu porta voz.

Leandro Jardim disse...

É a coisa tá braba!

Cristiano Contreiras disse...

Empolgante escrita!

Fernando c. disse...

gostei bastante da idea, genial.

l. rafael nolli disse...

Larry, esse poema veio em boa hora, tanto pelo dias dos pais, quanto para essa situação lastimável do Líbano bombardeado, uma realidade que não podemos esquecer nunca, e que o teu poema me remeteu imediatamente! Gostei! Abraços!

A Outra disse...

Olá!

Eu sou A Outra e vim aqui te dizer que O Outro é muito enrolado e não conseguiu se decidir numa abordagem ideal para o nosso "Projeto Experimento: Um Blog Metalinguístico". Eu disse que não existe uma abordagem ideal, mas, sabe como são os homens, né? Então o deixei falando sozinho e estou aqui te convidando para conhecer nosso blog!

Apareça!

A Outra.

Antônio Alves disse...

Acho que Deus desconhece a lenda, onde só ficou dor, sangue e disformidade.