Pesquisar este blog

segunda-feira, julho 30, 2007


A fábula do vidro e do tijolo
pela vidraça vê-se o muro
vê-se furos
no paladar!
não há o que se esconda
e se oponha
à dor de fronha
e a amores de chafariz
é tudo tão caro
que o metal não pode pagar
beijara teus tijolos
e ainda trazia na língua
os esporos alheios
enganando-se cotidiano
e os olhos secos se fecham
na esperança da chuva
da fonte na praça central.

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUALCopyright © 2007. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site. Este texto está protegido por direitos autorais. A cópia não autorizada implica penalidades previstas na Lei 9.610/98.

4 comentários:

alexandre disse...

É incrível o que você consegue fazer com as palavras.

Beijos!

ps:estou aqui para fazermos a capa do livro

emerson disse...

Escreve muito bem cara Larissa. Combina palavras com gestos.Passa lá no meu!

Antônio Alves disse...

Nada como um pouco d'água.


Antônio Alves
No Passeio Público
Postagens às quartas e domingos

paldi disse...

Você é contra a CPMF? Então entra lá no meu e comenta.