Pesquisar este blog

quinta-feira, outubro 05, 2006

Boca suja!
Boca suja!
Ai menino da boca suja,
Vou lavar sua boca com sabão
E contar pra sua mãe do seu palavrão...
Menino de olho esbugalhado,
Que brinca com as pelotas,
As bolinhas de vidro,
Bolas-de-gude...
Que carrega o estilingue no bolso traseiro,
Que tem a boca suja,
Vou contar pra todo mundo
Que sinto saudade de ser...
Ai menino da boca suja
Da roupa suja
Dos pés grossos de andar descalço,
Com a calça arregaçada até o joelho,
Para correr melhor,
E ai de quem tretasse com ele...
Era xingo, palavrão e maldizer,
Sem pestanejar, sem lembrar que tinha mãe.
Acertar a cabeça do fôgo-pagô,
Dos calangos,
Hei calando, tá com a cabeça quebrada?
Convido você leitor, para que visite meu blog de prosa:
http://www.calamidadevisceral.blogspot.com/

4 comentários:

André Lasak disse...

Ôpa!

O Quimera Ufana faz um ano de vida, mas quem ganha é... ele mesmo!

Venha conhecer o novo layout!
http://www.quimeraufana.blogspot.com

Beijão!

Alexandre disse...

Ô gostosa volta à infância!

Claudio Eugenio Luz disse...

Minha cara, um poema divino!Daqueles que a gente sabe que não vai esquecer. Acertar a cabeça do fôgo-pagô,
Dos calangos,
Hei calando, tá com a cabeça quebrada?

passagem sublime!

hábeijos

Larissa Marques disse...

Acredita que era eu?
Risos!