Pesquisar este blog

sexta-feira, abril 21, 2006

Dorme doce e beato Endimião
Que velarei dos céus teu sono
Escolhera ceder-se à sua paixão
Pois do teu destino quis ser dono.

Abandonaste as ovelhas, teu campo,
Para sonhar com tua felicidade pura
Que na realidade fez-se neste pranto
Ao ver-te preso nesta eterna clausura.

Desejou-me com desesperado fulgor
Jurando-me teu desaforado a amor
Atirando tua vida contra meu pudor.

E vendo-o dormir eterno jovem, chorei,
No horizonte, cheia de minha dor brilhei,
Amaldiçoada, amada por outros serei.


PS.: "Conta a lenda que Edimião nutria um violento amor à Lua. Mas ela (Lua) ignorava-o, por não se misturar com mortais. Edimirão era pastor jovem e de grande beleza. A pedido de Selene, Zeus prometeu a Edimião realizar qualquer desejo seu, e este escolheu o sono eterno, pela certeza de jamais ver seu amor correspondido e adormeceu, continuando jovem perpetuamente. De acordo com algumas versões, foi durante seu sono perpétuo que a Lua o viu e apaixonou-se".

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUALCopyright © 2006. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site. Este texto está protegido por direitos autorais. A cópia não autorizada implica penalidades previstas na Lei 9.610/98.
Convido você leitor, para que visite meu blog de prosa:
http://www.larissamarquesemprosa.blogspot.com/

3 comentários:

Drica Maeda disse...

Oi, adorei a sua visita e gostei bastante do seu lugar. Beijo!

eduardo disse...

Lindo. Adorei o poema e a lenda. Você é muito sensível.
http://dudve.blogspot.com
http://cartasintimas.zip.net

Alexandre disse...

Adoro mitologia Larissa! O poema é muito bonito.