Pesquisar este blog

quarta-feira, abril 26, 2006

Pequenas borboletas
Pairam pelo chão do cerrado
Oscilam sobre o verde
E o ocre da terra
Coloridas como o arco-íris
Não buscam nada mais
Que flores,
Não mais que água,
Que paz!
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUALCopyright © 2006. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site. Este texto está protegido por direitos autorais. A cópia não autorizada implica penalidades previstas na Lei 9.610/98.
Convido você leitor, para que visite meu blog de prosa:

7 comentários:

croqui disse...

Oi Larissa...

Poema simples, mas muito interessante!

gostei mt,
parabéns!

Larissa Marques disse...

Por vezes atingir a simplicidade é muito difícil. É um poema no estilo que gosto de escrever, com margem para várias interpretações.

eduardo disse...

Seu poema mostra a complexibilidade da simplicidade...

edu pererê disse...

belo falássemos tanto mais das grandes obras do mundo,ainda que do voô incerto das ex lagartas..

Alexandre disse...

Esse poema expressa a vida em poucos segundos! Muito bom.

Aerodrama disse...

Muito bom.... ainda mais se colocado contra o nosso atual ritmo de vida cheio de necessidades não tão necessárias assim... me pergunto agora se a chave da felicidade não seria o estilo borboleta...

Muito bom mesmo, um grande abraço.
Aerodrama.

Claudio Eugenio Luz disse...

Leve e belo, como todos as coisas que necessitam de um pouco de harmonia.

hábeijos

claudio