Pesquisar este blog

sexta-feira, março 10, 2006

A agonia berra, grita em mim,
No entanto, você a alimenta mais uma vez.
Até onde levarei essa dor comigo?
Fujo, mas a angústia está sempre aqui,
Tomando-me como abrigo
Enquanto odeia-me, atormenta-me,
Então me entrego.
Então me tome, me abrace até eu dormir.
Agrade-me com sua blasfêmia,
Ampare-me com sua maldição,
Satisfaça-me com sua transgressão.
Não posso fugir de algo que está em todo lugar
Rompo o casulo que me guardava
Então me entrego.
Mas tome cuidado
Sentimento ferido
Transforma-se nesta nódoa

Que mancha minhas asas,
Batize-me e estarei limpo
E essa dor nos redime?
Abrace-me até que tudo passe,
Então me entrego.
Não quero seu controle
Conte-me por que me escolheu
Não quero sua ganância,
Por que eu?
Quebrei-me em pedaços para compensar
Mas a dor não repara nada.
Então me abrace até sufocar
Então me entrego.
E não há mais há sofrimento
Nem preocupações
Posso me permitir
Pode haver mais do que sei
Poderei ser livre
Encontrei você
Então me entrego.

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUALCopyright © 2006. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site.

9 comentários:

Mateus Curbeti Becker disse...

Larissa, encantou-me teu texto. Parabéns por tua sensibilidade. Grande abraço!

Márcio Bezerra disse...

A intensidade desse poema me deixou sem ar, até agora estou tentando respirar, belas colocações e belo texto, ah! tá linkada no meu blog, abraços....

Lui disse...

Larissa,

vendo seus comentários e o "link" para o seu "site", lá no do Alex Mendes, resolvi tomar a iniciativa de conhecer um pouco da sua obra lá no Recanto das Letras e aqui também.

Seus textos causaram-me uma admiração tão grande, que nem sei o que dizer... Estou encantada com seus poemas. Encantada com o domínio que você tem sobre as palavras e com a melodia que você cria por meio delas.

Deixo aqui um abraço cheio de admiração.

Isac disse...

Gostei. Uma vertigem & um grito fatal. Sombrio como vc diz, também gosto. Abraço du Isac.

Claudio Eugenio Luz disse...

Nada como saber sondar o terreno por onde nossos sentimentos anda.Parabéns

hábeijos

claudio

ru disse...

É verdadeiramente respeitável a geração de poetas que surgiram com o advento dos blogs. Você está incluída neste meu conceito.
Parabéns pelo belo poema.
Abraços.

Rubo Jünger Medina disse...

É verdadeiramente respeitável a geração de poetas que surgiram com o advento dos blogs. Você está incluída neste meu conceito.
Parabéns pelo poema.
Abraços.

P.S - acho que houve algum probl. com o coment acima.

wile disse...

olá passei por aqui...
inspiração...
uh!!!
parabéns!!!

Anônimo disse...

necessario verificar:)