Pesquisar este blog

terça-feira, maio 02, 2006


Julgo que nessa podridão
Ainda hei de ser feliz
Que a vida nesse fosso
Posso procurar
E no mais profundo de mim
Encontro a lótus
Nem quero mais a superfície
Agora, nessa solidão,
Penso que ainda hei de ser feliz
Mesmo que seja ouro do tolo
Não vou mais me torturar
Vou ficar aqui
Olhando-me
Como ainda não ousei me mostrar
Aceitando-me desabrochar.
Meus agradecimentos especiais ao fotógrafo Alexandre Costa, pela bela fotografia que já é poética por si só!
Poderá encontrar mais da obra de Alexandre Costa no endereço:
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUALCopyright © 2006. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site. Este texto está protegido por direitos autorais. A cópia não autorizada implica penalidades previstas na Lei 9.610/98.
Convido você leitor, para que visite meu blog de prosa:
http://www.larissamarquesemprosa.blogspot.com/

5 comentários:

croqui disse...

lindo... aliás como vc ja nos vem habituando! continua... sempre

croqui disse...

adorei o poema q colocou no seu comentário à minha aquarela... lindo! obrigado, não estava à espera...

L. Rafael nolli disse...

Larissa, está linkada lá no Stalingrado, viu! Bom que facilita minhas vindas aqui! Olha, concordo contigo: essa foto já é uma poesia. Agora esse seu verso está tinindo: muito musical! Gostei dimais!

croqui disse...

ola, sim claro que pode colocar minha aguarela no seu blog... Será um prazer. Mas coloca um link para o meu blog tá? Pode copiar a imagem ou eu envio a imagem para seu mail...

Alexandre disse...

Fico galaticamente agradecido por isso Larissa. Estou postando lá no Contos também!

Bjs