Pesquisar este blog

sexta-feira, maio 19, 2006


A neblina encobre o topo
De minhas falésias preocupadas
E as formigas suicidas
Escapam pelas orelhas,
Vertem pelas narinas.

Não quero mais palestras,
Não quero mais doutrinas,
Vejo só a dança do véu
Da fumaça que não dissipa
Da nuvem que não passa.

Quero creolina,
Quero Liana,
Quero catarata,
Quero marina,
Quero ninar.
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUALCopyright © 2006. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site. Este texto está protegido por direitos autorais. A cópia não autorizada implica penalidades previstas na Lei 9.610/98.
Convido você leitor, para que visite meu blog de prosa:
http://www.larissamarquesemprosa.blogspot.com/

6 comentários:

Alexandre disse...

Seus poemas são fortes e extraordinários. Querer se transformam em poder nas suas palavras!

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Oi!

Muito bom!
Beijos do *CC*

Aerodrama disse...

Belo e denso!!!!

Um abraço,
Aerodrama.

elcio disse...

liana come cana
marina come catarata
creolina

Claudio Eugenio Luz disse...

Não apenas dançar, mas rasgar todo sentimento na pista da vida.

hábeijos

Rubo Jünger Medina disse...

Não quero... não quero... não quero nada, mas no fundo, quero alguma coisa. Quero, por fim, ninar.
Beijos.